INICIAL   VIVAVINHO   PRODUTOS   DICAS & CURIOSIDADES   CONTATO
 
  Vinhedos, viticultura e a cultura de cultivar vinho
31/05/2012
O bom vinho nasce na vinha, diz um antigo ditado popular entre os viticultores. De fato não existe nem homem, nem máquina, nem aditivo que possa tornar um vinho melhor do que a própria qualidade da uva colhida e que por conseguinte lhe deu origem. É no campo, sobretudo, que se produz o vinho. Antes que na cantina. Tem um papel fundamental no vinho aquilo que os franceses definiram com muita felicidade e chamaram de "Terroir", exportando o termo para todo o mundo. O "Terroir" é um conjunto de fatores geográficos, climáticos, geológicos e biológicos, únicos e que não se repetem. Portanto, antes de se aprender a conhecer um vinho é importante conhecer a sua raiz. "Quanto mais você está em baixo mais você deve subir". É desta maneira que devemos aprender que todas as principais regiões de vinho do mundo são em países posicionados entre os 30 e os 50 graus de latitude, ou seja, em zonas de clima temperado. Em estreita relação com a latitude temos que considerar a altitude sobre o nível do mar, ideal para o cultivo da uva. Como regra geral devemos ter presente que a altitude pode ser tanto mais elevada quanto mais baixa é a latitude. Os grandes vinhos da Borgonha, por exemplo, não superam os 50-60 metros sobre o nível do mar. No Chile, situado muito mais em baixo, os melhores resultados se obtém a 600 metros sobre o nível do mar. Sol e chuva na justa proporção para levar a uva a um equilibrado grau de maturação, além da necessidade de um clima temperado, com temperaturas médias anuais não inferiores aos 10 graus. Fundamental também a necessidade de luz e de sol - em média (1.300-1.500) horas anuais - e de água - (650-700) milímetros de chuva anual. É, obviamente, preferível uma "distribuição" homogênea, durante o ano, dos fatores climáticos. Uma maturação constante, sem picos de calor. Bem como as precipitações ideais de chuva devem ocorrer no inverno e na primavera e não durante a floração da videira nem durante a colheita. Quem comanda o clima logicamente é a natureza. Cabe porém, ao homem, na medida do possível, intervir, de acordo com a própria exigência da cultura, com as condições do terreno e com a localização e distância das instalações. Também as formas de tratamento e manuseio, facilitando a penetração do sol e outros procedimentos naturais, favorecem a um melhor desfrute dos fatores climáticos. Vale lembrar: • Um antigo provérbio entre vinhateiros diz que quanto pior o solo melhor será o vinho. O solo deve reter a umidade sem ficar alagado. Solos quentes de cascalho e areia retém o calor acelerando a maturação, os frios, argilosos a retardam. • As encostas são apropriadas para vinhedos porque possuem boa drenagem e concentram muita luz solar. • Uma temperatura anual média de 14 a 15ºC com uma média estival de pelo menos 19ºC é o ideal. O verão não deve ser muito quente e nem o outono muito frio. • A chuva deve cair no inverno e na primavera. Chuva demais no verão e no outono pode prejudicar as uvas. • Geadas, granizo, chuvas e ventos fortes são perigos constantes.